A FRASE DO ANO - RUY CASTRO

27/12/2017

FONTE - FOLHA DE SP 

RIO DE JANEIRO - A grande frase de 2017, "Tem que manter isso, viu?", cometida pelo presidente Michel Temer ao ouvir de um amigo poderoso que este estava subornando um deputado preso para impedir que o dito deputado contasse os podres que sabia sobre eles, costuma ser classificada como "pouco republicana". Nem todos entendem o significado dessa expressão. Sabem vagamente que tem a ver com "República", que entendem como uma forma de governo oposta à monarquia. Pode ser, mas, no caso, aplica-se à "res publica", a coisa pública, aquilo que diz respeito a todos nós.

Ao afirmar "Tem que manter isso, viu?", a autoridade está endossando um cala-boca para encobrir o esclarecimento de crimes contra o interesse público -crimes que, em primeira e última análise, desviam dinheiro destinado a ocupar os 20% de brasileiros entre 14 e 29 anos que não estudam nem trabalham, abastecer de gaze e esparadrapo os hospitais públicos e devolver as ruas do Brasil aos seus cidadãos.

Daí a vergonha de muitos outro dia ao constatar que dependemos dos EUA para cuidar dos nossos criminosos. Ao levar apenas dois anos para investigar, julgar, condenar e prender o ex-presidente da CBF José Maria Marin, os americanos nos deram uma aula do que entendem por "res publica". Por ser uma decisão em primeira instância, cabe recurso -mas Marin foi preventivamente engaiolado, para não restar dúvida de que não fugirá para o Brasil, onde passaria o resto de seus dias assobiando no azul.

Como, aliás, acontece com a maioria dos nossos ex-presidentes e atuais governadores, deputados e senadores soterrados por montanhas de processos e que, graças às leis brasileiras, apostam que seus crimes cairão de maduros antes que se chegue a uma decisão.

Decisão esta que, caso os desfavoreça, sempre terá um juiz leniente a anulá-la.