ADVOGADOS TENTAM BARRAR POSSE DA NOVA MINISTRA - O GLOBO

08/01/2018

FONTE - O GLOBO, RJ

RIO - Um grupo de advogados trabalhistas começou a ingressar neste domingo com uma série de ações populares na Justiça Federal do Rio para tentar suspender a nomeação da deputada federal Cristiane Brasil (PTB-RJ) para o Ministério do Trabalho e impedir a posse dela, marcada para a próxima terça-feira. Eles fazem parte do Movimento dos Advogados Trabalhistas Independentes (Miti) e, entre eles está o advogado Carlos Alberto Patrício de Souza, que defende um dos motoristas que processou Cristiane Brasil.

MEU COMENTÁRIO:

Fico imaginando o que devem pensar estrangeiros de bom senso, quando se tornam cientes que no Brasil,  condenado pela Justiça do Trabalho por ter lesado direito de empregados é nomeada ministra da pasta que existe exatamente para administrar a aplicação da lei que rege o trabalho. 

E que a nomeação tenha sido mantida, mesmo quando os nomeantes (presidente da república), ficam cientes do sucedido. 

Poderiam ter cancelado a nomeação, alegando, de modo procedente, ignorar o detalhe da condenação trabalhista. 

Mas vem o balofo pitbull que hoje chefia a pasta do governo, afirmar ser impensável voltar atrás e cancelar a nomeação. 

Ou que no estado de Minas Gerais, hajam nomeado presidente do Detran estadual um delegado colecionador de multas de trânsito, que ao entregar a carteira de motorista, vai ter que se submeter ao curso de reciclagem.

Ora, poderia ter sido nomeado para qualquer outro cargo, fosse qual fosse, menos o de diretor do órgão que fiscaliza a aplicação das leis de trânsito, logo ele, contumaz delinquente nesse quesito. 

Os nomeantes poderiam cancelar a nomeação, alegando desconhecer o passado nada abonável do indicado. Ao contrário, sustentam a nomeação e insistem em manter o dito no lugar em que foi posto. 

Fatos assim são desmoralizantes para os poderes constituidos.

Mas o que esperar de um país cujo Congresso foi comprado para votar contra as denúncias que acometem o principal mandatário? 

O mais preocupante é que fatos absolutamente anormais como os citados, passem desapercebidos, como se normais fossem. 

O Brasil atual está se tornando um país surrealista, gerado no desprezo dos encadeamentos lógicos pela ativação sistemática do irracional.