APOSTA NO POTENCIAL DE LULA - RICARDO NOBLAT

22/12/2017

FONTE - BLOG DO NOBLAT

Ricardo Noblat

O que há de surpreendente no fato de representantes do mercado financeiro terem procurado pessoas próximas a Lula para conversar sobre o futuro?

O mercado não é de direita, de esquerda ou de centro. É do dinheiro. O que o move unicamente é o interesse em ganhar mais.

Pouco se lhe dá que nome tenha um candidato com chances de se eleger, se o passado o condena ou absolve.

Importa o que ele possa lhe fazer de bem ou de mal. Por isso o mercado investe em candidatos de todas as cores. E sempre investirá.

Não foi o que disse o empresário Marcelo Odebrecht a respeito da ajuda que deu ao senador Aécio Neves (PSDB-MG)?

Marcelo apostou "no potencial" de Aécio contra Dilma nas eleições de 2014. E igualmente no "potencial" de Dilma que acabou reeleita.

Lula pode estar próximo de ser impedido pela Justiça de se candidatar em 2018. Mas, por ora, lidera todas as pesquisas de intenção de voto.

Se não puder ser candidato, indicará um para substitui-lo - provavelmente o ex-governador da Bahia e ex-ministro Jaques Wagner.

Candidato ou não, preso ou solto, Lula será o protagonista de mais uma eleição presidencial - no caso, a sétima de 1989 para cá. Só não foi da eleição de 2014 porque Dilma não deixou.

Lula retribuiu o interesse do mercado por ele dizendo, anteontem, que está mais velho e mais sabido e, por isso, menos radical.

O Lula radical é só para consumo da esquerda, para que ela não o abandone e defenda com entusiasmo.

O que vale e valerá é o Lula negociador, o ex-líder sindical que se entendia com o governo militar de 64 enquanto o criticava nos palanques.