FH AQUECE O CALDEIRÃO DE HUCK - BERNARDO MELLO FRANCO

07/02/2018

FONTE - O GLOBO 

Para quem conhece Fernando Henrique Cardoso, o recado foi claro. O ex-presidente não desistiu de lançar Luciano Huck ao Planalto. Ele continua disposto a rifar Geraldo Alckmin, o candidato oficial dos tucanos, para abrir caminho ao apresentador de TV.

Em entrevista à rádio Jovem Pan, FH voltou a aquecer o caldeirão de Huck. Ele disse que sua candidatura seria algo "bom para o Brasil". Mais do que isso: cumpriria o papel de "arejar" o ambiente e "botar em perigo a política tradicional". "Mesmo que seja do meu partido", acrescentou.

Em bom português, a frase quer dizer o seguinte: se Huck enterrar as ambições de Alckmin, pior para o governador paulista. O ex-presidente não vai chorar nem acender velas em memória do colega de sigla.

O fogo amigo tende a dificultar ainda mais a vida de Alckmin. Empacado nas pesquisas, o governador tem penado para mostrar que pode ser um candidato viável. Agora voltará a enfrentar o fantasma de Huck como outsider apoiado por FH.

Para um ex-ministro tucano, a preferência pelo apresentador já "está na cara". Resta saber se ele aceitará o incentivo do ex-presidente para trocar o conforto da telinha pelos riscos de uma campanha.

FH e Alckmin nunca fizeram parte da mesma turma no PSDB. As diferenças não se limitam ao estilo de cada um. O ex-presidente não esquece o esforço do governador para escondê-lo na eleição de 2006. Ainda há a rivalidade local em São Paulo. FH é próximo de José Serra, que perdeu o controle da legenda para Alckmin.

Novas pesquisas qualitativas têm reforçado o que os políticos do PSDB repetem há tempos. Huck é popular, tem imagem de bom moço e pode encarnar o desejo por renovação na política. Isso não quer dizer que ele seria um bom presidente, mas é suficiente para transformá-lo num bom produto para o marketing eleitoral.

Segundo o Datafolha, o apresentador já empatou com Alckmin na casa dos 8%. Um governa o estado mais rico do país e está em campanha permanente. O outro nem entrou formalmente na disputa.

Huck disse em novembro que não seria candidato, mas o anúncio parece ter sido apenas um recuo tático para sair da mira dos adversários. FH escancarou a manobra ao informar, em entrevista recente", que o pupilo "não desistiu".