MUSEU DOS EUA HESITA EM CEDER INSTALAÇÕES ´NA HOMENAGEM A BOLSONARO - JOSIAS DE SOUZA - BLOG DO JOSIAS

13/04/2019

Jair Bolsonaro receberá no dia 14 de maio, em Nova York, o prêmio "Personalidade do Ano", concedido pela Câmara de Comércio Brasil-Estados Unidos. O evento deveria ocorrer na sede do prestigioso Museu de História Natural dos Estados Unidos. Mas a instituição cogita vetar uso de suas instalações como palco de homenagem ao presidente brasileiro.

Num post veiculado no Twitter, o staff do museu anotou: "Estamos profundamente preocupados e estamos explorando nossas opções." A direção do museu tomou distância da homenagem, um "evento externo e privado". E alegou que desconhecia a personalidade a ser premiada, pois o jantar de gala "no qual o atual presidente do Brasil será homenageado, foi reservado no museu antes de ele ser escolhido."

Deve-se a hesitação do museu sobretudo à visão crítica dos seus dirigentes em relação à política ambiental de Bolsonaro -ou à ausência dela. Avalia-se que, sob o capitão, a preservação da floresta amazônica e a integridade das reservas indígenas estão sob ameaça.

Nesta sexta-feira, a propósito, de passagem por Macapá, Bolsonaro defendeu a exploração econômica da Reserva Nacional do Cobre Associados (Renca). Fica na divisa entre o Amapá e o Pará. É do tamanho do Estado do Espírito Santo. Foi extinta sob Michel Temer. Mas a gritaria foi tão grande que o governo recuou.

Alheia à agenda antiambiental do capitão, a Câmara de Comércio Brasil-Estados Unidos não tem a mais remota intenção de recuar na premiação de Bolsonaro. Mas talvez tenha de escolher um novo palco para o evento. O presidente brasileiro será homenageado ao lado de uma personalidade americana, cujo nome ainda não foi divulgado.