O GOVERNO É REFÉM DE UM LUNÁTICO - BERNARDO MELLO FRANCO - O GLOBO, RJ

12/03/2019

Antes que os bolsonaristas mais aguerridos peguem em armas, esclareço: o lunático do título não é quem vocês estão pensando. Refiro-me a Olavo de Carvalho, o guru que faz a cabeça do presidente.

O autoproclamado filósofo emplacou dois pupilos como ministros: o das Relações Exteriores, Ernesto Araújo, e o da Educação, Ricardo Vélez Rodríguez. As presepadas dos discípulos não saciaram o mestre. De seu escritório em Richmond, ele se dedica a semear intrigas e provocar novas crises em Brasília.

No fim de janeiro, Olavo se lançou numa cruzada contra o vice-presidente Hamilton Mourão. Chamou o general de "maluco", "covarde", "psicopata", "charlatão desprezível" e "vergonha para as Forças Armadas".

Como o vice não pode ser demitido, o ideólogo escolheu outros alvos. Na semana passada, o embaixador Paulo Roberto de Almeida o culpou por sua exoneração do Ipri, o instituto de pesquisas do Itamaraty. O diplomata havia chamado Olavo de "sofista" e "debiloide".

Na sexta-feira, o guru da ultradireita surpreendeu ao pedir que seus alunos no governo, "umas poucas dezenas", entregassem os cargos imediatamente. "O presente governo está repleto de inimigos do presidente e inimigos do povo, e andar em companhia desses pústulas só é bom para quem seja como eles", dramatizou.

Era só jogo de cena. Na verdade, Olavo queria revanche após saber que alguns pupilos haviam sido rebaixados na hierarquia do MEC. A tática funcionou. Ontem Bolsonaro mandou Vélez demitir três militares que se contrapunham aos olavistas no ministério. O expurgo mostra que o governo é refém de um personagem que divulga teorias conspiratórias e se descreve como "apenas um véio lôco" no Facebook.

Além de ver comunistas em toda parte, Olavo promove uma campanha incansável contra as universidades e o jornalismo profissional. Não por acaso, é cultuado por blogs governistas que propagam "fake news".

Há poucos dias, o blogueiro que difamou uma repórter do jornal "O Estado de S. Paulo" pediu doações em dinheiro para o guru. "Professor Olavo precisa da nossa ajuda", justificou.