VAI DAR ROLO?... - LILLIAN WITTE FIBE

02/02/2018

Xi... Isso pode dar um rolo...

Presidente do BNDES foi um dos alvos de operação da PF hoje. O genro dele, preso há quase um ano em Curitiba, compõe a lista dos condenados por Moro.

FONTE - VEJA.COM 

A operação Pausare, que a Polícia Federal pôs na rua hoje, investiga a pobre aposentadoria tungada pela corrupção dos funcionários dos Correios.
Antigo reduto do doleiro Alberto Youssef, um dos primeiros presos pela Lava Jato, o fundo de pensão Postalis vem sendo acintosamente roubado há décadas pelas organizações criminosas do colarinho branco.
Carteiros e colegas já foram chamados a cobrir o rombo do Postalis, com redução direta em seus vencimentos. Por causa da corrupção praticada a céu aberto.

Hoje, quem foi um dos muitos alvos da Pausare?
O presidente do BNDES, Paulo Rabello de Castro, que, quando assumiu, em maio de 2017, lamentou o fato de seu genro, Bruno Luz, estar preso em Curitiba. (Em outubro, o juiz Sérgio Moro condenou o sr. Bruno e o pai dele por corrupção no pagamento de propina a políticos do PMDB, através da . compra de navios-sonda da Petrobras.)

Segundo o site Poder 360 (link abaixo), na declaração de Imposto de Renda de Bruno Luz de 2014 consta uma operação financeira com o sogro.
Sogro que não esconde suas ambições políticas. Recentemente, sonhou em ser candidato a presidente da República. A ponto de inaugurar escritório do BNDES no Amapá, conforme escrevi em novembro (link abaixo idem).
Não bastasse a denúncia do Ministério Público pedindo a prisão do ex-presidente do Banco do Brasil e da Petrobras, não bastasse a demissão dos vice-presidentes que quebraram a Caixa Econômica, agora vemos também o atual presidente do BNDES no noticiário policial.

Há de se notar, lógico, que nada foi provado contra ele.
Mas que tem cheiro de rolo no ar, vai me desculpar, isso tem. Claro que Temer vai achar que tudo não passa de mais um excesso da Polícia.